terça-feira, 10 de agosto de 2010

AVISO IMPORTANTE!

Olá pessoal.
Venho, por meio deste, comunicar que o recebimento de textos para o terceiro volume da coletânea Assassinos S/A está suspenso por tempo indeterminado.
Peço desculpas aqueles que já enviaram seu material para avaliação, e sugiro que os encaminhem para avaliação de outras coletâneas de temática semelhante da Editora Multifoco, atualmente com as inscrições abertas, como Sinistro!, Solarium III, Fiat Voluntas Tua III, Bandeira Negra ou Pacto de Monstros.
Contando com a compreensão de todos, vou me despedindo com um forte abraço.
Jana Lauxen

terça-feira, 27 de julho de 2010

Divulgando nossos ilustradores: EMERSON WISKOW lança conto pela Mojo Books.

Emerson Wiskow, autor de algumas das ilustrações presentes na coletânea Assassinos S/A Vol. II, lançou o e-book Mostruário do Absurdo Fantástico.
O livro pode ser baixado, gratuitamente, clicando aqui.


EMERSON WISKOW: gaúcho, cartunista e escritor. Wiskow cria contos cheios de homens minúsculos e mulheres gigantes! Tudo na literatura de Wiskow sugere a busca do ser humano contemporâneo por um lugar debaixo de um Sol inevitavelmente, fatal.
Contato: 1ewiskow@gmail.com  

Saiba mais sobre o autor e ilustrador acessando:

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Divulgando nossos autores: GEORGE DOS SANTOS PACHECO lança seu livro de estréia.

O escritor George dos Santos Pacheco, autor do conto Um Anjo Redentor, presente na coletânea Assassinos S/A Vol. II, vai lançar seu livro de estréia pela Editora Multifoco, O Fantasma do Mare Dei.
O lançamento será dia 17 de julho, às 16h30min, na Livraria Arabesco (Avenida Alberto Braune, 87), em Nova Friburgo – RJ.


Sinopse:

Existem suspeitas que um estelionatário procurado pela polícia embarcará em fuga para fora do país no navio de passageiros Mare Dei, um dos últimos de sua época.
Para encontrá-lo, foi colocado em seu encalço o jovem detetive Aquiles Balmant.
Mas existe um problema.
A polícia não tem uma descrição exata do bandido.
O detetive não sabe seu nome, nem tem um retrato falado.
Apenas uma descrição fraca do que seria o homem que roubava dezenas de mulheres pelo Rio de Janeiro.
Um quebra-cabeça para ninguém pôr defeito.
Ele pode ser qualquer um...
Muito católico, procura respostas em sua pequena bíblia de bolso, que carrega constantemente no paletó.
Aquiles não imagina que esse caso será tão complicado.
Para piorar, no meio das investigações, uma passageira, Sr.ª Helena Bragança, é encontrada morta, e o marinheiro que a encontrou se torna o principal suspeito, deixando o comandante do navio, o Capitão Américo, muito aflito.
Terá sido coincidência?
Ou um caso está ligado ao outro?
Aquiles embarcou disfarçado de médico do navio, Dr. Henri Schneider, para facilitar as investigações, e tem como auxiliar o Tenente Rabello, um policial responsável pela segurança do navio.
À medida que os suspeitos aumentam, o detetive fica mais confuso.
O tempo corre e ele precisa chegar o mais rápido possível ao culpado.
Sua bíblia é sua melhor conselheira e acaba se tornando peça chave na investigação.
Numa trama envolvente, recheada de inveja, paixão, amor e religiosidade, Aquiles consegue descobrir ao final que o assassino é alguém acima de qualquer suspeita.

Sobre o autor:

GEORGE DOS SANTOS PACHECO nasceu em Nova Friburgo em 81. Sempre gostou de ficção, filmes e livros, mas foi apartir de uma entrevista com uma escritora em um canal de TV que descobriu que também podia fazer parte deste mundo. Não parou mais. Participa da coletânea de contos policiais Assassinos S/A Vol. II. Publica contos e crônicas em diversos sites, inclusive em seu blog.

Saiba mais sobre o autor e seu livro acessando:

sábado, 3 de julho de 2010

Divulgando nossos autores: ADRIANA KAIROS promove concurso literário.

Adriana Kairos, autora do conto Apartamento 302, presente no primeiro volume da coletânea Assassinos S/A, está promovendo, através do seu blogue Kairos Poiesis, um concurso de poesias e contos bem bacana.

Release:

I Concurso de Poesias e Contos – Prêmio Kairos Poiesis

O blog Kairos Poiesis está recebendo, até o dia 20 de agosto de 2010, textos inéditos para compor as antologias Poesia Suburbana e Marginal - contos de periferia, organizadas pela poetisa e escritora Adriana Kairos.
O objetivo do prêmio é incentivar a produção de textos literários, estimular o hábito de leitura, promover e homenagear autores.
Mas, acima de tudo, a iniciativa também pretende dar voz a ‘autores marginais’, escritores e poetas que versem o cotidiano dos espaços populares.
E mostrar com as suas obras, de maneira mais fiel, a cara da base da pirâmide.

Para o concurso de poesias somente poderão participar os autores residentes no município do Rio de Janeiro.
Saiba mais aqui.
Contudo, o concurso de contos destina-se a qualquer pessoa, acima de 16 anos, de qualquer sítio, que escreva em língua portuguesa.
Saiba mais aqui.
As inscrições são gratuitas.

Regulamento e informações no blog KAIROS POIESIS

sexta-feira, 2 de julho de 2010

INSCRIÇÕES ABERTAS.

Estão oficialmente abertas as inscrições para o terceiro volume da coletânea Assassinos S/A.
Sim, caros psicopatas das palavras, vocês já podem e devem enviar seus contos sanguinolentos para o e-mail assassinos.anthology@editoramultifoco.com.br.
Como vocês já sabem, nenhum autor selecionado para a coletânea terá de desembolsar um único centavo para participar.
Cada um recebe uma cota de 15 livros por consignação, o que significa que, se encerrado o prazo você não tiver conseguido comercializar os exemplares, basta que os remeta de volta para a editora ou renegocie um novo prazo.
Sem dramas, sem multas e sem problemas.
E por falar em prazo, ele se encerra dia 30 de novembro de 2010.
O regulamento você encontra logo abaixo e, caso fique alguma dúvida, basta conferir nossa sessão de perguntas e respostas clicando aqui ou enviando um e-mail.
Como em nosso último volume, este também será inteiramente ilustrado por um artista cujo nome divulgaremos em breve.
Participe!
E aquele abraço amigo.

REGULAMENTO:

01. A Editora MULTIFOCO, através do selo ANTHOLOGY, receberá até o dia 30 de novembro de 2010 contos em português, inéditos ou não, de autores brasileiros ou estrangeiros residentes em qualquer parte do sistema solar, que versem sobre o tema ASSASSINATO e/ou POLICIAL.

02. O autor assinará um termo declarando que a referida obra é criação sua e responsabilizando-se por qualquer questão relativa a direitos autorais e plágio.

03. Os textos recebidos serão analisados e os selecionados farão parte da antologia ASSASSINOS S/A Volume III, a ser publicada pela referida editora em março de 2011.

04. A antologia terá, aproximadamente, 150 páginas, no formato padrão 14x21, e o preço máximo de capa será R$ 25,00, tendo os autores um desconto de 30% para que possam recuperar seu investimento com uma margem de lucro.

05. A cota de participação para cada autor será de 15 exemplares, que eles receberão por consignação a fim de comercializá-los no prazo de 30 dias, a contar do recebimento dos livros. No caso de o autor precisar de mais exemplares, a editora se compromete a repôr a quantidade pedida, dentro das condições iniciais, desde que o preço das matérias-primas estejam estabilizados no mercado, durante todo o restante do ano de 2011.

06. Os autores residentes no Rio de Janeiro e aqueles que se dispuserem a deslocar-se até lá, terão à sua disposição a sede da editora, localizada na Av. Mem de Sá, 126 -Lapa - Rio de Janeiro, para o lançamento da antologia, em data a ser divulgada posteriormente.

07. Aqueles que receberem os livros via Correios deverão arcar com as despesar do porte.

08. Os textos, com no máximo dez mil caracteres, incluíndo espaços, devem ser enviados em arquivo Word, fonte Times 12, tendo TEXTO ASSASSINOS S/A no campo ASSUNTO. No corpo da mensagem o autor deve enviar uma mini-biografia de, no máximo, cinco linhas.

09. Independente de serem selecionados ou não, TODOS que enviarem textos serão informados via e-mail do resultado da análise.

10. Qualquer assunto não abordado neste regulamento será resolvido pela organização da antologia.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Entrevistas com nossos autores.

O portal Esquina do Escritor - Beco do Crime, parceiro fiel de criminalidade da coletânea Assassinos S/A, realizou uma série de entrevistas com alguns dos autores de nossa coletânea.

Assim vocês podem conhecer um pouco mais sobre nossos assassinos e suas vidas literárias delinqüentes, ou seja: vale muito a pena.
Clique abaixo nos nomes e boa viagem.

Afobório – por Beto Canales.

Plínio Gomes – por Andre Esteves.

Josué de Oliveira – por Andre Esteves.

Denise Ravizzoni – por Andre Esteves.

Valdeci Ângelo Garcia – por Andre Esteves.

Confira também a entrevista de nosso editor, amigo, camarada e organizador Frodo Oliveira.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Compartilhando uma alegria.

Você já assistiu a nova propaganda do projeto Criança Esperança, da Rede Globo, aonde o ator Rodrigo Lombardi (intérprete do Mauro, na novela Passione) vai com Diego de Lima, um dos 4 milhões de jovens e crianças beneficiados pelo programa ao longo de 25 anos de trabalho, agradecer a uma colaboradora do projeto por sua doação?
O vídeo pode ser assistido aqui.
Então.
Diego é um dos autores da Editora Multifoco.


Seu livro, O Julgamento de Lampião, assinado sob o pseudônimo Victor Órion, foi lançado dia 25 de maio na Escola Municipal Castelnuovo, no Rio, onde Diego estudou.

Leia aqui o que foi publicado no site da Rede Globo sobre os bastidores do comercial.

Nós, da Editora Multifoco, ficamos muito felizes por poder participar da vida de Diego e, junto com o Criança Esperança, ajudá-lo a realizar seu sonho de publicar seu primeiro livro.

Lombardi mostra o livro escrito por Diego.

Diego de Lima, o ator Rodrigo Lombardi e a doadora Márcia Dias (Foto: Luanna de Britto)


Que este seja o primeiro, de muitos.
Parabéns Diego!

Divulgando nossos ilustradores: EMERSON WISKOW lança conto pela Mojo Books.

Emerson Wiskow, autor de algumas das ilustrações presentes na coletânea Assassinos S/A Vol. II, lançou, pela editora virtual e musical Mojo Books, a história Daniel na Cova dos Leões, inspirado na banda Legião Urbana.


Leia um trecho:

Nesta noite, a noite do sexto dia que conheci e convivi com Andréa, fizemos amor. Uma, duas, três, quatro, cinco, seis vezes. Ela colocou o disco - o mesmo disco que colocou para ouvirmos na primeira vez que dormimos juntos -, e ouvimos incessantemente, incansavelmente a noite toda. Andréa e eu bebemos e devoramos maços de cigarros. Ríamos das coisas que falávamos naquela noite. Eu me perguntava se eu havia criado Andréa ou ela a mim. Se nós tínhamos criado um mundo. Andréa andava pelo apartamento vestindo apenas calcinha, flutuando com sua pele branca, seus seios rijos de auréolas muito rosadas. Eu ficava deitado na cama observando seus movimentos, sua displicência quando ia ao banheiro urinar com a porta aberta. Urinar enquanto eu escovava os dentes. Eu não me importava. O que me importava, e isso me bastava, era que ela estava ali. O mundo lá fora não me importava. Lembro que adormeci com a cabeça de Andréa sobre meu peito.
(Você pode ler o restante da história clicando aqui)

Sobre o autor:

EMERSON WISKOW: gaúcho, cartunista e escritor. Wiskow cria contos cheios de homens minúsculos e mulheres gigantes! Tudo na literatura de Wiskow sugere a busca do ser humano contemporâneo por um lugar debaixo de um Sol inevitavelmente, fatal.

Saiba mais sobre o autor e ilustrador acessando:

Divulgando nossos autores: RONALDO LUIZ SOUSA lança seu livro de estréia.

Ronaldo Luiz Sousa, autor do conto Crimes da Lua Minguante, integrante da coletânea Assassinos S/A Vol. I, acaba de lançar seu livro de estréia, Raízes e Asas - Em Busca da Sabedoria do Caminho (Ed. Usina das Letras, 2010).

Release:

Um pássaro migratório em busca da sabedoria. Um pinheirinho solitário em um vale deserto. Estes são os personagens desta cativante e envolvente estória, que nos revela a essência de verdades universais e nos desperta para a preciosidade da vida, da alegria e do amor.
Uma estória simples, contada de forma a cativar milhares de leitores ao redor do mundo. Uma estória que espelha nossas mais profundas dúvidas e nos lança a uma reflexão íntima sobre nossas vidas, nosso ontem e nosso amanhã, aproximando-nos da sabedoria e da arte da liderança, da liberdade e da conquista de um sonho.
“Raízes e Asas” começa com a devastação de uma floresta milenar em um vale cercado por montanhas. Refúgio de pássaros migratórios, que fazem dali um local de descanso nas migrações entre hemisférios, o vale deserto torna-se o cenário do encontro de dois personagens apaixonantes, de mundos completamente diferentes: um pássaro migratório e um pinheirinho solitário.
Conseguir respostas e utilizá-las para reconstruir sua identidade e reorientá-lo em seu caminho. Esta é a sabedoria que o migrante Branno busca colher a cada bater de asas. Cercado de perigos em sua jornada, ferido e incapaz de voar, ele se vê forçado a ficar ilhado por todo o inverno num vale deserto. Ali conhece um amigo especial, um pinheirinho, e juntos partilham seus sonhos e esperanças, encorajando-se mutuamente.
Raízes e Asas é sobre nossas próprias vidas, nossas dificuldades, dúvidas, anseios e sonhos. É sobre a fraqueza e a força de todo ser humano. É sobre a esperança em nós e no amanhã de toda a humanidade. Temos, enfim, através da aventura dos personagens, a chance de percebermos nossas vidas, aprendermos sobre as escolhas, a sabedoria e o caminho que trilhamos. A busca pela sabedoria do caminho é também a busca por respostas às nossas questões pessoais.
Mais que acompanhar um pássaro em sua longa migração através de continentes ou o crescimento de uma árvore, Raízes e Asas nos envolve em uma jornada espiritual dentro de nosso íntimo, no âmago de nossos sentimentos e convicções, guiando-nos para além das dificuldades e desastres, em busca da sabedoria para trilhar nossos passos. Devolve às nossas mãos a chave para a alegria e a realização pessoal: o desenvolvimento de nossos dons e a realização de nossos sonhos.

Sobre o autor:

RONALDO LUIZ SOUZA nasceu em Santos Dumont, MG. Formado em Administração e Pós Graduado em Direito, trabalha na área jurídica, mas possui desde a mais tenra infância paixão por livros e literatura. Escritor e contista, publicou em antologias das Editoras Androsss, Multifoco, Scortecci, Tarja, Giz, All Print e Câmara Brasileira de Jovens Escritores. Réquiem para o Natal, Universo Paulistano, Solarium 1 e 2, Assassinos S/A Vol. IContos Selecionados de Novos Autores Brasileiros, Fiat Voluntas Tua, Enigmas do Amor, Paradigmas 3 e 4, Dias Contados, Invasão, Metamorfose, Poe 200 anos e Contos de Outono são alguns dos livros já lançados onde podem ser encontrados seus contos. Os livros podem ser adquiridos diretamente no site das editoras.

Saiba mais sobre o autor e seu livro acessando www.livroraizeseasas.blogspot.com

Divulgando nossos autores!

A partir de agora, caros leitores, vamos divulgar aqui, no blogue oficial da coletânea Assassinos S/A, os trabalhos que os autores de nossos dois volumes vem fazendo Brasil (e mundo) afora.
Assim, vocês poderão acompanhar, além de notícias e novidades sobre nossa coletânea sanguinolenta e criminosa, por onde andam e o que estão fazendo os responsáveis por transformar nossos dois volumes em um grande sucesso.
Eu sabia que vocês iam gostar da novidade.
Aquele abraço.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Troféu HQMix 2010!

Autorretrato.

É com muita alegria e sangue respingando que comunicamos a quem puder interessar que nosso prezado e talentosíssimo Mario Cau, autor das ilustrações de capa e contracapa do segundo volume da coletânea Assassinos S/A, foi indicado ao Troféu HQMix como Melhor Publicação Independente de Autor, por sua fantástica revista Pieces.

Parabéns, Mario!
E muito boa sorte, pois você, sem dúvida nenhuma, merece!

Pieces #1

Pieces #2

Para saber mais sobre Mario e sobre como adquirir suas revistas, acesse seu blogue clicando aqui.

NOTA: hoje (dia 11 de junho) soubemos que Mario concorre também como Desenhista Revelação ao Troféu HQMix 2010.
Veja aqui a lista de todos os concorrentes.
E dá-lhe Marião! Estamos na torcida.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Ilustra.

Fhilipe Ramayana, um dos ilustradores do Selo Literarte, enviou sua ilustração para nossa sociedade secreta e assassina.
Literariamente falando, naturalmente.
Valeu mesmo, Fhilipe!


A propósito.
Em breve abriremos as inscrições para a seletiva que reunirá os autores do terceiro volume da Assassinos S/A.
Fiquem ligados.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Assassinos S/A no SKOOB!

Estamos lá também, é claro!
Assassinos S/A Vol. I aqui e Assassinos S/A Vol. II aqui.
Até mais, criminalidade!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Concurso Assassinos S/A no Orkut.

A comunidade Viciados em Livros, que conta com mais de 95 mil membros, lançou, ao lado do assassino literário Fabiano Cisticerco, o Concurso Literário Assassinos S/A Vol. II.
Basta você participar da comunidade e completar a frase se você fosse um assassino profissional...
As duas melhores levam um volume da Assassinos S/A Vol. II.
Tá valendo até o dia 16 de maio.
Cliquem aqui, leiam o regulamento e participem.
Até.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

PROMOÇÃO (e bota PROMOÇÃO nisso!) Assassinos S/A Vol. II

Sim, sim, sim!
Celebrando o sucesso de nossos dois primeiros volumes, o blogue oficial da coletânea Assassinos S/A resolveu lançar uma mega-super-ultra-imperdível promoção.
Saca só: Assassinos S/A Vol. II por apenas R$20 – com frete incluso.
Levando-se em conta que o livro custa R$25 + R$3 de frete, totalizando R$28, você, prezado leitor de histórias sanguinolentas e politicamente incorretas, terá um desconto sensacional de quase dez reais.
E nos dias de hoje, você sabe, dez reais é DINHEIRO.
E não é só isso!
Temos também 5 pacotes que incluem o Vol. I e Vol. II da Assassinos S/A pela bagatela de R$35 – incluindo o frete.
Aqui o desconto é inacreditável, pois os dois exemplares, a preço normal, mais frete, sairia por bem mais de 50 reais.
Então não perca mais tempo!
Escreva para assassinos.anthology@editoramultifoco.com.br e peça o seu AGORA.
A promoção vai até o dia 31 de maio, ou enquanto durar nosso pequenino estoque.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Porque eu deveria comprar a coletânea Assassinos S/A Vol II?

Por 21 motivos principais:

A Chacina
Carolina Luz
Aconteceu assim: jantávamos quando a campainha tocou. O som estridente do imprevisto, quebrando a rotina diária e tornado-se um presságio. Nunca recebíamos visitas, por isso o momento significou que algo estava tremendamente errado. Meu pai levantou-se preguiçosamente, disfarçando com cuidado o quanto a “novidade” era estranha. Alertou-nos que ficássemos quietos, ele voltaria logo mais. Não voltou. Demorou alguns instantes para que compreendêssemos o que acontecia. Nem a presença do vizinho deu o start no processo de entendimento. Quando o vimos, parado, com os olhos estalados e sujos de sangue, a veia do pescoço alvo saltada, azul e grossa, já era tarde. Com um movimento rápido, ele saltou para cima de minha mãe e de sua barriga, subindo e descendo um facão até então despercebido.

Clarisse
José Sérgio Bechler
Mas então Clarisse, você disse que iria embora, mudar de vida, e eu tive de fazer isso com você. Não houve alternativa, você jamais iria entender que nenhum outro lugar do mundo combina com você como aquele corredor visto pelo olho mágico, quando você chegava com seu passo torto, e eu a observava.

Crimes no Paraíso
Roberto Kusiak
Exaustos, adormeceram. Sonhou com uma voz gritando com ele, dizendo que era um pecador, um traidor. Aquela voz dizia-lhe que havia provado da fruta proibida. O céu escureceu, ouvia estrondos e aquela voz enfurecida chamando-o de desgraçado. Sentiu uma imensa dor na virilha. Um gosto amargo na boca, suas narinas queimavam. Tinha calafrios. Barulho de sirenes, gritos, passos apressados. A sensação de cair em um abismo sem fim voltou.
Abriu os olhos e só viu aquele clarão no céu, e alguém chamando seu nome, Adão! Adão!
Desfaleceu.

Margaridas no Céu.
Afobório
Andei até a cama, ele tentou sentar. Tinha um tubo na boca e um monte de esparadrapos que o impediam de falar. Estava com tantos fios ligados ao corpo que era difícil acreditar. Mesmo assim ele me alcançou sua mão. Percebi o esforço que fez para segurar com força, como sempre fizemos, desde pequenos. Aquilo me mostrou que Jerônimo não era perecível.
Depois de um tempo ele gesticulou, então eu entendi: ele queria as flores.

Melhor Amigo
Fabiano Cisticerco
Naquela manhã, estávamos resolvendo alguns exercícios que a professora havia nos passado, quando Roberto me chamou de retardado outra vez. Tony se enfureceu. Ficou louco. Pegou o lápis da minha mão e foi para cima do garoto. Enfiou o lápis no olho direito dele. Um grito ecoou pela sala de aula. No mesmo instante o sangue jorrou de seu rosto. Suas mãos pequenas cobriam suas vistas. O lápis perfurara seu olho. O sangue escorria entre seus dedos, descendo pelos seus braços.

Nossa Senhora do Bom Parto
Plínio Gomes
Percebi que, além dos gritos, ela chamava por nossa senhora do bom parto. Os cães latiam ao redor dela, e isso dava um ar nebuloso e de pavor ao beco. Sabia que ela estava em trabalho de parto, percebia como ela se contorcia. Mas eu não conseguia vê-la como um ser humano. Em minha viagem, ela era uma sombra louca da noite.

O Acerto de Contas
Bruno Borges
Ele perdeu a compostura e deu três voltas na manivela de meu braço esquerdo. Não foi o suficiente para quebrá-lo. O mecanismo movimentou o meu antebraço para baixo, enquanto a parte superior ficou presa. Nessa hora, ouvi um estalo vindo do meu cotovelo, e isso me deu um baita susto, principalmente quando vi o brilho em seus olhos. A dor só veio em seguida. Naquele momento notei algo extraordinário: eu havia transformado um pastor, um homem de Deus, em um demônio como eu. Era tarde demais para ele.

O Antipanegírico
Eduardo Miranda
Não falo polonês, embora possa identificar a língua. E aquelas pessoas se dirigiram a mim em polonês. Disso eu tenho certeza! Outra certeza que tenho é de que eles se enganaram. Foi um engano! Perguntaram em polonês, gritaram em polonês, apontaram-me uma arma polonesa, e dispararam tiros poloneses.
Certamente mataram o cara errado.

O Elo Perdido
Guilherme Lessa Bica
O padre a recebe de batina, nada embaixo da roupa. Ela dobra as pernas e encosta a cabeça no tapete vermelho do altar sem enxergar cristo pregado. Mastiga hóstias enquanto o padre ofega e pergunta, extasiado, corpo de cristo? corpo de cristo? corpo de cristo? e quase arranca os cabelos de Marcela. Não basta ela responder amém amém amém a todas as perguntas, ele tem que gozar. Marcela diz que ele demora porque come criancinhas, e elas não dão o retorno de um adulto ou adolescente quando penetradas. E o retorno, ela insiste, é o mais importante, é o que diferencia o sexo da simples procriação de outras espécies.

O Julgamento
George Ritter
Ela é inexpressiva. Calada, lustra o objeto metálico triangular. Atenta à sua ação repetitiva, aparenta não piscar. A mulher se estendeu em minutos sem nem olhar para Guilherme que, preso, tem uma sensação similar a embriagues. Nada o movia, mas sentia-se indo pra cá e pra lá.
Ela, em seu silêncio melancólico, afia o objeto. Seca com o punho as lágrimas, impulsionadas pela recordação do som do telefonema da polícia, da imagem do corpo morto e a descoberta do cartão, que a levou até o assassino.

O Multiplicador
Giselle Sato
Ainda usava as luvas, e o facão estava firmemente enrolado no plástico, guardado na sacola. Agora era a hora mais esperada. Quase em transe, subiu as escadas de madeira até os quartos e escritório. Abriu gavetas e armários, puxou caixas dos nichos, mexeu e remexeu em guardados. Compartilhou segredos e quase chorou, ao ler uma poesia escrita pela mulher que havia, literalmente, acabado de picotar.

O Trem e o Olhar do Carrasco
Jorge Dimas Carlet
Conforme o tempo passava, a ansiedade foi tomando seu espírito. Já estava naquele trem há um bom tempo. E nada do trem parar. Intrigado, arriscou perguntar à velha senhora o que acontecia. Esta limitou-se a dizer que não havia um destino final para a viagem, e que o trem só parava para que novos passageiros subissem. Ninguém descia. Atônito, deu-se por conta de que não tinha nenhuma passagem. Tampouco noção de para onde estava indo, nem porque embarcou. Desesperado, tentou lembrar-se de como chegou ali. Não conseguiu. Só havia uma solução. Descer na primeira oportunidade em que alguém embarcasse.

O Bocejo
Jana Lauxen
Foi trazida até o hospital por um policial da guarda ambiental, que a encontrou, já sem vida, em uma área suspeita de desmatamento. Trazia um ferimento grave na cabeça, muito provavelmente provocado por um forte e impiedoso golpe. Também estava cheia de escoriações, principalmente arranhões, e queimaduras na extremidade direita do corpo.
No entanto, o mais estranho era que, um pouco acima dos seios, havia uma marca que parecia feita a ferro em brasa.
Era a letra V.

O Bom Vizinho
Wilson Gorj
O vizinho sempre os convidava para jantar. Convite que, vez ou outra, aceitavam, mais por caridade que por educação. Tinham pena dele. Era um homem tão sozinho...
O casal também o considerava muito gentil, prestativo, inteligente. “O tipo de pessoa”, diriam mais tarde, “acima de qualquer suspeita”.
Ainda bem que a polícia não pensava assim.

Para logo, recomeçar
Danielle Sousa
Seus passos tímidos pararam num bar, próximo o bastante para se divertir. Calculou seu melhor sorriso pedindo uma bebida qualquer, já que não sentia a sede de antes. Não contou o tempo. Respirou fundo e olhou ao redor, muitos risos, muito álcool, muita mentira. Gostava dali.

Reflexo
Israel Teles
Cortando o silêncio da casa, a campainha soou. Levantou assustado e, com o livro em mãos, dirigiu-se para fora.
Então, ao abrir a porta, ele o viu atrás das grades do portão. Encharcado, vestia uma camisa vermelha com listras negras.
“O que você quer?” as palavras saíram numa mistura de incredulidade e desespero, enquanto ele apertava o livro contra o peito.
“Aquilo que você me roubou” respondeu sem ao menos levantar a cabeça.

Ron
Yubertson Miranda
Atentei-me, portanto, à sujeira que merece ser extirpada por não haver condições de reaproveitá-la. Nesses anos todos, me concentrei mais nessas porcarias. Elas mereceram toda minha dedicação. Sei que, ao limpá-las, sentia-me limpo também e deixava a população mais pura. Esse foi o meu objetivo: eliminar a sujeira que não se recicla.

Segundo Plano
Sidney Stadnik
Deu três passos rumo à porta, e já viu seu mascote felino, preto, vindo a rápidas passadas em sua direção. Jogou-lhe o pedaço humano, que rapidamente foi puxado para um canto, num gesto que demonstra o incontrolável instinto selvagem do animal. Logo depois, fechou a vítima na cabana e foi até a casa que havia na chácara, fazer o jantar.

Soldado Invernal
Jota Fox
- “Ei, Erick! Estas coisas... são... orelhas!?”
A voz veio do outro soldado, que cada vez se aproximava mais do alçapão. Eles haviam caído na armadilha. Estavam próximos o bastante e quase de costas. Mas a voz... era de uma mulher! Malditos shukrutz! Quase hesitei por um instante, por causa do meu contraditório e ainda enraizado aprendizado infantil sobre como tratar uma dama. Mas guerra é guerra! Aqui é matar ou morrer.

Um Anjo Redentor
George dos Santos Pacheco
O enfermeiro saiu da padaria e caminhou até o ponto de ônibus. A rua onde aconteceu a chacina ficava no caminho. Passou em frente e ficou observando a entrada do beco. Havia marcas de tiros nas paredes. A imagem das pessoas correndo lhe veio à cabeça. Lembrou-se de quando se fartavam com a comida que havia trazido. Aquela tinha sido mesmo a última refeição deles.

Uma Noite de Amor
Valdeci Ângelo Garcia
O cheiro nauseabundo e pestilento chegou até minhas narinas com mais força agora, talvez porque o frio passara e o sol já brilhava intensamente. Levantei a cabeça. No canto do quarto, ao lado de um velho guarda-roupa de portas quebradas, vi, num segundo que me pareceu a eternidade, um cadáver dependurado num dos caibros do telhado. Estava semimumificado – quiçá pelo clima seco daquelas paragens.

Vlad Tepes IV
Roberto Kusiak
A estrada estava deserta. Não havia som algum. Com aquele frio, não existia sequer um inseto para fazer fundo musical para a cena. Linda cena. Lembrei-me dos direitos humanos. Sim, dos humanos e dos direitos. Humanos direitos têm direitos. Vagabundo não é humano, é vagabundo. Ainda mais aquele fedorento, cuja ficha criminal gastaria uma caixa de folha para impressora matricial.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Assassinos S/A Vol. II – O Vídeo

Eis o único, inimitável, inalterável, inabalável, indefectível e absolutamente inédito vídeo de divulgação da coletânea Assassinos S/A Vol. II:



Notícias, fotos, fofocas e detalhes sórdidos do lançamento, que aconteceu sábado, muito em breve.

sábado, 3 de abril de 2010

É HOJE!

Sim, companheiros e companheiras!
É HOJE!
O que?
Ora, o lançamento do segundo volume da coletânea mais sanguinolenta e psicopata do Brasil.
Sim, a Assassinos S/A.
A função vai rolar lá no lindo Rio de Janeiro, na boemíssima Lapa, na sensacional sede da Editora Multifoco.
Se estiver por perto, não deixe de aparecer.
Será do caralho, com o perdão do palavrão.
Ó:
Clique na imagem para aumentar.

terça-feira, 16 de março de 2010

Release:


Assassinos S/A Vol. II
A Coletânea


por Manuela Azevedo.

Admito: quando a escritora Jana Lauxen me pediu para ler ‘com carinho’ e ‘dar minha opinião sincera’ sobre os originais do segundo volume da coletânea de contos policiais brasileiros Assassinos S/A, que ela organiza ao lado do escritor Frodo Oliveira em parceria com a Editora Multifoco, pensei ‘ih, lá vem mais uma coletânea de ficção policial’. Mesmo assim não recusei, mais por educação do que, de fato, por curiosidade.
E agora, depois de ter lido (ou melhor, devorado ferozmente) os 20 contos, de 20 diferentes escritores brasileiros, posso afirmar com cem por cento de convicção: não se trata de mais uma coletânea de ficção policial.
Trata-se, sim, d’A Coletânea de ficção policial.
Apesar do sugestivo nome, as histórias que compõem esta coleção não são, simplesmente, sobre assassinatos, assassinos, vítimas e investigadores. Além da superficialidade meramente chocante que muitos textos do gênero costumam proporcionar, os assassinos de Jana Lauxen e Frodo Oliveira imergem intensamente na sagacidade do crime, em seus motivos (ou na falta deles) e na mente doentia e arguciosa de seus matadores.
A violência não é gratuita; é elaborada, fidedigna, eqüitativa, quase sincera.
Não encontraremos no segundo volume desta coletânea detetives usando sobretudos e lupas, e nem artimanhas literárias que buscam somente e tão somente assombrar o leitor. Até porque, como sabemos, chocar é fácil, basta apelar. Mas Jana, Frodo e seus autores não apelam. Eles entram, sem bater na porta nem pedir licença, na mente de um matador, e sem procurar justificar seus crimes e atrocidades, apenas nos apresentam o assassino por dentro – por dentro, inclusive, de nós mesmos, nobres cidadãos.
Telefonei para Jana e dei minha sentença:
- É fenomenal!
E ela me respondeu:
- Tem mais!
Ela falava das ilustrações.
Assassinos S/A Vol. II não é apenas A Coletânea de contos de ficção policial. É também A Coletânea de contos de ficção policial ilustrada. E digo mais: divinamente ilustrada.
Jana escalou uma baita seleção de ilustradores, como Mario Cau, responsável pela sensacional capa da edição, Emerson Wiskow, Jota Fox, M. Waechter, Rodrigo Molina, Giovana Medeiros e Daniel Strapasson Faccio.
Feito. O time estava completo.
Por isso, caros leitores, se posso oferecer um singelo porém sincero conselho, digo-lhes: dêem uma chance para esta que é A Coletânea de contos policiais brasileiros ilustrada. Permitam que Jana Lauxen, Frodo Oliveira e sua trupe entrem em suas cabeças também, e os levem a conhecer a sociedade secreta de seus assassinos, e de seus crimes (im)perfeitos, acidentais, elaborados, premeditados, ocasionais.
Contudo não se assustem com o que encontrarão ali, dentro do livro.
Conforme descreveu a própria Jana na apresentação da edição, estamos todos ‘ingenuamente protegidos pelas páginas impressas que separam a ficção da realidade’.
Além do que, como disse Hassan Sabbah, fundador da Ordem dos Assassinos, seita ismaelita que, entre o final do século XI e a metade do XIII, trouxe terror e pânico à região do Oriente Médio: nada é verdade.
Logo, tudo é permitido.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Os Autores - Vol. II

Afobório é escritor, autor do livro Livre Para Ser Preso (Ed. Multifoco, 2009). Participou de coletâneas pelas editoras Andross e Multifoco. Escreve no 3:AM Magazine Brasil, no Beco do Crime, no Cabeças Cortadas e no jornal O Caiobá.
Contato com o autor: afoborio@gmail.com

Bruno Borges é formado em Agronomia, Perito do Ministério Público Federal por profissão e escritor amador por paixão. Escreve seu primeiro romance e pretende lançá-lo em breve. Possui contos publicados em vários sites, comunidades, e na antologia Solarium vol. II, da Editora Multifoco.
Contato com o autor: bborges@brturbo.com.br.

Carolina Luz escreve desde cedo, postando contos no site Recanto das Letras sob o pseudônimo Amanda Becker, que retratam o cotidiano possível da violência humana. Atualmente prepara-se para o lançamento do seu livro, Mundo Acromático.
Contato com a autora: carolinaclp@yahoo.com.br

Danielle Sousa, 24 anos. Doutora do sarcasmo, artífice da ironia, heroína do mistério. Várias nuances espalhadas na pequenez de uma natalense de 1,60. Pensa da vida o que a vida pensa dela. E, na maioria das vezes, se esconde nas sombras por não achar nada melhor para fazer.
Contato com a autora: danielleindependente@hotmail.com

Eduardo Miranda é músico, escritor e poeta. Membro do grupo literário Casa Pyndahýba, lançou o livro Quase (poesia, 1998) e participou das coletâneas Amigos (1994) e Contra Lamúria (1995), ao lado de nomes como Ignácio de Loyola Brandão e Marçal Aquino. É editor da revista eletrônica TUDA, joga bola aos domingos e ganha o pão como Especialista em Tecnologia da Informação em Dublin, República da Irlanda.
Contato com o autor: edotmq@gmail.com

Fabiano Barbosa é blogueiro, escritor, pintor, artista e o que mais der na telha. Conhecido como Cisticerco, escreve nos blogues Cabeças Cortadas, Beco do Crime, no Jornal Folha do Vale do Sapucaí e em seu blogue. Participou da Antologia Beco do Crime, da Editora Multifoco.
Contato com o autor: cisticercosolium@hotmail.com

George Ritter é natural de São Gonçalo - R J, e dedica-se à literatura desde cedo. Cursa Arquivologia na Universidade Federal Fluminense. Em fevereiro de 2007 deu início ao livro O Algoz. Atualmente é moderador da comunidade virtual Agatha Christie – Desafios, e prossegue com seus projetos literários, dedicando-se à sua paixão, a literatura policial.
Contato com o autor: george.ritter@hotmail.com

George dos Santos Pacheco nasceu em Nova Friburgo em 81. Sempre gostou de ficção, filmes e livros, mas foi a partir de uma entrevista com uma escritora em um canal de TV que descobriu que também podia fazer parte desse mundo. Não parou mais. "Sofro de escrita compulsiva" diz. Ainda bem. Expõe algumas obras em seu site, Revista Pacheco.
Contato com o autor: pacheconetuno@oi.com.br.

Giselle Sato é uma contadora de histórias. Tem o site Trilhas da Imensidão e escreveu os livros Meninas Malvadas, A Pequena Bailarina, Contos de Terror Selecionados, Poetrix e integra a Coletânea do Beco do Crime. Participa de blogs de amigos, do projeto Mulheres Nuas e de revistas mensais on-line.

Guilherme Lessa Bica, 24 anos, Guaíba (RS). Jornalista formado pela PUCRS (Famecos), ainda não desistiu de encontrar na literatura um sentido e um fim, ou seja: nada. Leitor compulsivo e escritor comedido. É autor do e-book Fome de Tudo (Mojo Books, 2009), inspirado na banda Nação Zumbi, além de outros contos publicados pela Mojo, pelo 3:AM Magazine Brasil e pelo extinto blog literário Civilizados.
Contato com o autor: guibica@yahoo.com.br

Israel Teles, safra de 76, após muito tempo como pedra encorajou-se a se arriscar como vidraça, quando, em 2008, começou a participar de concursos e projetos literários. Teve contos publicados na coletânea Território V (Ed. Terracota), TerrorZine, Mojo Books, E-Blogue.com e pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores. Mantém o projeto de música eletrônica 56K e toca guitarra/canta na banda de rock Estrada.
Contato com o autor: israelteles@gmail.com

Jorge Dimas Carlet, 45, sociólogo e artista plástico. Atua junto ao Grupo Artes e Artistas, transitando pelo circuito de artes de São Paulo. Um belo dia resolveu materializar um sonho: transcender a posição de leitor. E passou a juntar as letrinhas, alucinada e despudoradamente. Porém, correm boatos de que sonha em concretizar outro: reviver os superssauros. Melhor não duvidar. Mas isso já é outra história.
Contato com o autor: jorgecarlet@hotmail.com

José Sérgio Bechler, nascido em 79, atua na área jurídica. Residiu por alguns anos em Porto Alegre, e agora vive em Santo Ângelo (RS), sua terra natal. Escreve no blog Sarapatel Psicodélico e participa do Sexo & Crime CIA. LTDA. Tem como referências Dostoievski, Artaud, Breton, Kafka, toda a geração Beat, Wilde, Poe e Baudelaire.
Contato com o autor: jsbechler@hotmail.com

Jota Fox, é poeta por natureza, desenhista por auto-compulsão, compositor por necessidade, escritor em decorrência dos fatos e cantor nas horas vagas de todos os integrantes de sua banda. Ilustrou livros da Editora Multifoco. Abram as cortinas para o próximo ato.
Contato com o autor: hq.universocaos@gmail.com

Plínio Gomes escreve para além do bem e do mal. Faz a morte de brinquedo e transforma a dor em sorte. Anda nos becos e nas vielas, está vivo e morto, como um amaldiçoado pelo mundo. Plínio enfrenta a fome e o vinho, conhece o conhaque e as rosas. Não é grande e nem forte; é certo e imprevisível como a morte e o amor. Escreve nos blogs Cabeças Cortadas, Zingador e Beco do Crime.
Contato com o autor: pliniogomess@hotmail.com

Roberto Kusiak é Policial Militar em Montenegro, RS. Evadido dos cursos de Administração de Empresas e Direito, é o pai da Isabela, sua maior paixão, e de mais de mil árvores espalhadas pelo vale do rio Caí. Autor de textos policiais pesados, que misturam realidade nua e crua com ficção, é colaborador do site Beco do Crime e Sexo & Crime Cia. Ltda. Pretende, em breve, lançar seu próprio livro.
Contato com o autor: roberto.kusiak@gmail.com

Sidney Stadnik, 26 anos repletos de memórias calculistas e sentimentais, unidas à experiência um tanto abastada de uma vida desregrada. Guarda na mente milhares de páginas viradas (algumas abarrotadas) de centenas de livros (de Dostoiévski a Stephen King, Poe a Lispector) visitados pelos seus desconfiados olhos de pisciano. Olhos que expiam reflexões - aquelas que sempre o perseguiram - acerca da vida e do mundo.
Contato com o autor: sside182@hotmail.com

Valdeci Ângelo Garcia é paulistano, advogado e tem 44 anos. Publicou em 2008 o livro de contos Bom dia, Dona Tarde! e, em 2009, lançou O Mapa das Nuvens, poesia, pela Ed. Multifoco. Participou de diversas antologias e colabora com o site Beco do Crime. Tem, em fase de conclusão, seu primeiro romance: O Aprendiz de Violino e As Primeiras Aventuras da Delegada Calcante. Seu livro, O Diabo Toca o Sino, será publicado ainda este ano pela Ed. Multifoco.
Contato com o autor: dr.valdecigarcia@uol.com.br

Wilson Gorj (n.1977) é natural de Aparecida, SP. Em 2007 publicou o livro Sem Contos Longos (ed. Autor) e participou da antologia Contos de Algibeira (ed. Casa Verde/RS), ambos de micronarrativas. Seu próximo livro, Prometo ser Breve (ed. Multifoco/RJ), está com lançamento previsto para este ano. Na internet, pode ser lido em vários endereços, destacadamente no blogue O Muro & Outras Páginas.
Contato com o autor: gorj@jornalolince.com.br

Yubertson Miranda, formado em Filosofia pela PUC/MG, trabalha como Astrólogo, Numerológo e Tarólogo. Tem 37 anos de idade. Mora em Belo Horizonte/MG. É fascinado pela literatura policial. Fã de livros e filmes do gênero suspense/policial, escreve atualmente o romance O Estuprador de Almas.
Contato com o autor: lestat344@yahoo.com.br

domingo, 14 de março de 2010

Ilustradores.

Conheça um pouco mais sobre os responsáveis por dar forma aos contos presentes na coletânea
Assassinos S/A Vol. II:

Daniel Strapasson Faccio é formado em Comunicação Social: Habilitação em Publicidade e Propaganda. Aos 26 anos mora com a mãe, tem preguiça de fazer a barba e não tem um cachorro vira-lata que corre atrás do rabo; ele é o próprio.
Contato com o ilustrador: danifaccio@hotmail.com

Emerson Wiskow, 38 anos, gaúcho. É escritor e cartunista. Vive isolado numa pequena cidade do Rio Grande do Sul. Atualmente publica no seu blog Cavalos Não Correm Deitados. Publicou pela Mojo Books a novela La Revancha Del Tango.
Contato com o ilustrador: 1ewiskow@gmail.com  

Giovana Medeiros nasceu em 1988, em Criciúma, no sul de Santa Catarina. É formada Técnica em Design, e atualmente estudante de Design de Moda. Ama desenhar desde criança. Hoje trabalha com criação de estampas numa equipe de estilo e nas horas vagas dedica-se a "rabiscação" e ilustração.
Contato com a ilustradora: giemedeiros@gmail.com

Jota Fox é poeta por natureza, desenhista por auto-compulsão, compositor por necessidade, escritor em decorrência dos fatos e cantor nas horas vagas de todos os integrantes de sua banda. Ilustrou livros da Editora Multifoco. Abram as cortinas para o próximo ato.
Contato com o autor: hq.universocaos@gmail.com

M. Waechter, 20 anos, São Paulo. Tenta bater o próprio recorde de tempo de demissão a cada novo emprego e tem uma gata gorda que adora brincar de esconde-esconde. Costuma escrever roteiros de quadrinho quando está bêbada e finge que estuda para passar no maldito vestibular, mas se não conseguir pretende vender seus bens materiais e virar hippie em uma praia de nudismo diferente a cada temporada. Sim, ela é uma verdadeira piadista.
Contato com a ilustradora: iris.arima@gmail.com

Mario Cau: diz a lenda que desenha desde sempre. Quadrinista e ilustrador, acredita na Arte Seqüencial como forma legítima de expressão, comunicação e linguagem. Já publicou no Brasil, EUA e Reino Unido. Autor da série Pieces, onde apresenta histórias que homenageiam os momentos poéticos da vida cotidiana. Participa de publicações como Nanquim Descartável, Café Espacial, Front, Quadrinhópole, Heavy Metal, Negative Burn, Sem Crise, entre outras. Apaixonado por música, cinema e fotografia, às vezes se aventura por essas áreas também. É professor na Pandora Escola de Artes em Campinas-SP, onde reside.
Contato com o ilustrador: mariocau@gmail.com

Formado em Publicidade, Rodrigo Molina possui experiência como Diretor de Arte e Ilustrador em agências de Porto Alegre e Belo Horizonte. Também é ator, modelo, cozinheiro, caminhoneiro, baloeiro, baderneiro e astro do rock. Suas maiores ambições são dominar o mundo e, posteriormente, o universo.
Contato com o ilustrador: rodrigomolina@gmail.com

quinta-feira, 11 de março de 2010

Prévia.

Confiram abaixo o teaser do vídeo de divulgação da coletânea Assassinos S/A Vol. II.
Por Israel Teles.



Aguardem, para muito breve, o vídeo completo.

terça-feira, 9 de março de 2010

A Capa.

Eis a capa, finalizada, do segundo volume da coletânea de contos policiais Assassinos S/A:


Bonitona, né?
Ilustrações: Mario Cau.
Arte final: Editora Multifoco.

Links.

E já que estamos postando links interessantes, aproveito para deixar aqui o excelente Escreva Seu Livro, de Laura Bacellar.
O site é todo interessante, imprescindível para quem está querendo se lançar no fantástico mundo da literatura pela primeira vez.
Destaque para o texto Movimento em Prol dos Escritores Desconhecidos, que é fantástico.
Vale muitos clicks.

Prata da Casa.

Saiu uma reportagem muito bacana sobre a Ed. Multifoco no site Prata da Casa, contando toda sua trajetória - desde o início, lá por meados de 2006, até os dias de hoje.
Confira clicando aqui.

Entrevista:

Já está no ar a entrevista pra lá de interessante que Raphael Santos, diretor de Marketing da Ed. Multifoco, concedeu a Leonardo Schabbach, editor do site Na Ponta do Lápis.
Super válida para quem quer conhecer mais e entender melhor o trabalho da Multifoco.
Clique aqui e delicie-se.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Apresentação da coletânea Assassinos S/A Vol. II.

Desde que começou a raciocinar, o homem busca desvendar o que vai pela cabeça de um matador.
Tarefa difícil, se pensarmos que cada assassino possui maneiras e motivações diferentes para matar.
Logo, não temos como identificá-los, não conhecemos as regras que obedecem, não sabemos o que deles esperar.
Suas ações e reações são igualmente imprevisíveis, aleatórias, ocasionais, tal e qual os níveis de sua imaginação doentia e os requintes de sua crueldade.
Só sabemos que contra assassinos não há métodos eficazes de prevenção.

Por isso nossa obsessão em analisá-los, compreendê-los, decodificá-los, desnudá-los.
Ora, até um animal mata por motivos nobres – geralmente, a conservação do próprio pescoço.
Mas e o homem?
O faz por prazer, por diversão, por necessidade, por profissão e até porque simplesmente sentiu vontade.

Estamos, então, a mercê?
Vulneráveis em um universo sádico, de homens sádicos com seus pensamentos sádicos, desprotegidos e indefesos?
Eu respondo: provavelmente sim, meus amigos.
Estamos, inclusive e principalmente, a mercê do assassino que vive dentro de cada um de nós.
E não faça esta cara.
Você sabe a que me refiro.

A sociedade secreta onde habitam os assassinos abre suas portas e convida todos a entrarem e sentirem-se ingenuamente protegidos pelas páginas impressas que separam a ficção da realidade.
Bem vindos ao nosso matadouro, prezadas vítimas.
Esta é uma viagem sem volta.

Jana Lauxen,
Organizadora.
Novembro de 2009.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Trechos.

Confira abaixo uma pequena palhinha de alguns dos contos reunidos no segundo volume da coletânea Assassinos S/A:

"Era assim que eu agia. Sempre explicava calmamente para o vagabundo o porquê da porrada. Nos mínimos detalhes. Crueldade? Não faço parte do segmento educadinho da polícia. Meu serviço é sujo. Com vagabundos sujos, em locais sujos. Para uma sociedade hipócrita e não menos suja que toda aquela imundície. Não basta bater apenas por bater. A escória tem que saber, tem que entender que não é para a cadeia que os levo. Não, a cadeia existe para satisfazer uma parcela cretina da sociedade, que acredita em recuperação de irrecuperáveis. "
Vlad Tepes IV - Roberto Kusiak

"Não falo polonês, embora possa identificar a língua. E aquelas pessoas se dirigiram a mim em polonês. Disso eu tenho certeza! Outra certeza que tenho é de que eles se enganaram. Foi um engano! Perguntaram em polonês, gritaram em polonês, apontaram-me uma arma polonesa, e dispararam tiros poloneses. Certamente mataram o cara errado."
O Antipanegírico - Eduardo Miranda

"A voz veio do outro soldado, que cada vez se aproximava mais do alçapão. Eles haviam caído na armadilha. Estavam próximos o bastante e quase de costas. Mas a voz... era de uma mulher! Malditos shukrutz! Quase hesitei por um instante, por causa do meu contraditório e ainda enraizado aprendizado infantil sobre como tratar uma dama. Mas guerra é guerra! Aqui é matar ou morrer. As damas da morte, mesmo que sob o manto floral de uma mulher, não hesitariam em estripar-me vivo com invejável voracidade".
Soldado Invernal - Jota Fox

"Conforme o combinado, Herculano dirigiu-se à porta da frente e bateu duas vezes. Notou que o olho mágico escureceu. Esperou por breves instantes e, ouvindo passos apressados, meteu o pé na porta e invadiu a residência. De relance ainda conseguiu ver o carrasco com a 9 milímetros em punho, correndo em direção aos fundos da casa.
De súbito a porta de trás é aberta. Alonso e o carrasco ficam frente a frente. Por uma fração de segundos trocam olhares. Profundos olhares.
- Você !?"
O Trem e o Olhar do Carrasco - Jorge Dimas Carlet

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Vídeo de divulgação.

Israel Teles, que participa do segundo volume da Assassinos S/A com o conto Reflexo, está produzindo também o vídeo de divulgação da coletânea.
O primeiro vídeo, que pode ser assistido aqui, também foi produzido por ele.
Desta vez, não teremos as fotos dos nossos assassinos mas...
Esperemos para ver.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Fórum Assassinos S/A:

Já está no ar o fórum sobre literatura policial Assassinos S/A da rede Forumeiros.
Basta clicar aqui, se cadastrar e deixar o debate rolar solto.
A idéia e a criação são do George dos Santos Pacheco, escritor que estará matando geral no segundo volume da nossa antologia.
Ah!
E tem também o fórum da Assassinos S/A da rede do selo Anthology, na Ning, criado pelo Emanoel Ferreira.
Cadastrem-se (é super fácil e rápido) e participem de ambas.
É bem massa.
Até breve, com novidades.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

COMUNICADO IMPORTANTE.

Olá assassinos queridos!
Como vão?
Escrevo aqui para comunicar um erro trágico cometido por mim: ao divulgar, dia 6, o resultado da seletiva para o segundo volume da coletânea Assassinos S/A, esqueci, completamente, de colocar o nome de um autor, Jorge Dimas Carlet, que também foi selecionado (e já havia sido, inclusive, comunicado de sua seleção, como comprova e-mail do dia 2 de outubro) com o texto O Trem e o Olhar do Carrasco.
Não querendo justificar o injustificável, explico-me devido ao roubo do meu notebuque, dia 30 de setembro, quando levaram, junto com o computador, todo o meu trabalho, incluindo, é claro, todo o projeto da Assassinos S/A.
Tendo de recomeçar do zero, descuidei-me e deixei-o de fora.
Peço sinceras desculpas a todos pela confusão, em especial ao autor, que já foi comunicado através de seu e-mail sobre meu lapso.
Logo abaixo, está a lista oficial e definitiva dos autores selecionados para o segundo volume da coletânea de contos policiais Assassinos S/A, que extraordinariamente vai sair com um texto a mais que o previsto – ou seja, 23, ao invés de 22.
Mais uma vez, minhas desculpas.
Um abraço.

Lista Oficial dos Contos e Autores selecionados:
01. A Chacina - Carolina Luz
02. Clarisse - José Sérgio Bechler
03. Crimes no Paraíso - Roberto Kusiak
04. Margaridas no Céu - Afobório
05. Melhor Amigo - Fabiano Cisticerco
06. Nossa Senhora do Bom Parto - Plínio Gomes
07. O Acerto de Contas - Bruno Borges
08. O Julgamento - George Ritter
09. O Multiplicador - Giselle Sato
10. O Bom Vizinho - Wilson Gorj
11. O Elo Perdido - Guilherme Lessa Bica
12. Reflexo - Israel Telles
13. Segundo Plano - Sidney Stadnik
14. Vlad Tepes IV - Roberto Kusiak
15. Ron - Yubertson Miranda
16. Um Anjo Redentor - George dos Santos Pacheco
17. Uma Noite de Amor - Valdeci Garcia
18. Soldado Invernal - Jota Fox
19. Para Logo Recomeçar - Danielle Sousa
20. O Antipanegírico - Eduardo Miranda
21. O Trem e o Olhar do Carrasco – Jorge Dimas Carlet

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Assassinos S/A Volume II – Resultado da Seletiva

Olá, meus queridos e impiedosos assassinos, psicopatas e perturbados em geral!
Cá estão, com um pequeníssimo atraso, os nomes dos autores e dos contos que darão vida (?) a coletânea mais suspeita e sanguinolenta do Brasil: A Assassinos S/A Volume II.
Importante frisar que, neste segundo volume, foi ainda mais difícil de escolher, entre os 192 inscritos, somente os 20 melhores textos – tanto que acabamos quebrando as regras que nós mesmos criamos e selecionando 23, o máximo dos máximos permitido pela Editora Multifoco que, repito, não busca fazer de sua literatura, seus livros e seus autores um grande varejão.
Assim, deixo aqui meus mais sinceros e amistosos cumprimentos a todos os participantes – vocês mandaram muito bem! – e celebro com alegria e gotículas de sangue a chegada de novos e ainda mais perigosos assassinos em nossa sociedade secreta!
Sejam bem vindos!
E aguardem novidades.

01. A Chacina - Carolina Luz
02. Clarisse - José Sérgio Bechler
03. Crimes no Paraíso - Roberto Kusiak
04. Margaridas no Céu - Afobório
05. Melhor Amigo - Fabiano Cisticerco
06. Nossa Senhora do Bom Parto - Plínio Gomes
07. O Acerto de Contas - Bruno Borges
08. O Julgamento - George Ritter
09. O Multiplicador - Giselle Sato
10. O Bom Vizinho - Wilson Gorj
11. O Elo Perdido - Guilherme Lessa Bica
12. Reflexo - Israel Telles
13. Segundo Plano - Sidney Stadnik
14. Vlad Tepes IV - Roberto Kusiak
15. Ron - Yubertson Miranda
16. Um Anjo Redentor - George dos Santos Pacheco
17. Uma Noite de Amor - Valdeci Garcia
18. Soldado Invernal - Jota Fox
19. Para Logo Recomeçar - Danielle Sousa
20. O Antipanegírico - Eduardo Miranda

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Atenção, Assassinos S.A!

Parem tudo!
Larguem suas facas, seus facões, suas armas e seus ímpetos assassinos!
E vejam só que espetáculo as ilustrações da capa e da contracapa do volume II da coletânea de contos policiais Assassinos S/A.
O responsável por esta maravilha toda é o grande ilustrador Mario Cau, que topou o desafio de ilustrar nossa coletânea e, como sempre, não decepcionou.
É claro que ainda faltam informações para que a capa e a contracapa estejam, definitivamente, prontas, como a inclusão do selo Anthology, os nomes dos autores e dos organizadores, a sinopse e etecetara e tal.
Mas já dá para medir o alto nível do que vem por aí.
Aguardem.
.
Capa
.

Contracapa

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Tira Gosto

Boa tarde assassinos e cúmplices do meu Brasilzão!
Passando só para avisar que a seleção de textos vai de vento em popa, e que alguns contos já foram escolhidos para compor o segundo volume da coletânea de contos policiais Assassinos S/A – e já estão nas mãos de seus ilustradores.
Confiram abaixo alguns trechos de algumas histórias, para ter uma prévia do vem por aí.
E se você ainda não mandou seu conto, não entre em pânico.
Tem até o dia 30 de setembro.
Aquele abraço!

“Levantei a cabeça. No canto do quarto, ao lado de um velho guarda-roupa de portas quebradas, vi, num segundo que me pareceu a eternidade, um cadáver dependurado num dos caibros do telhado. Estava semimumificado.”
Valdeci Garcia – Uma Noite de Amor

“- Lembra-se do tempo em que você me pedia uma mãozinha nisso, outra naquilo, e eu sempre lhe atendia, solícito? Pois é, você nunca deu valor para isso, e ainda dizia que eu era incompetente... Mas agora tenho outro trabalho. E nesse, ao invés de dar uma mãozinha, eu devo tirá-la, sabia?”
Sidney Stadnik – Segundo Plano

“Helena sentia-se feliz, o mais novo amigo parecia satisfeito e não parava de elogiar. Foi quando um forte soco derrubou-a. Desprevenida e sem esboçar qualquer reação, ela caiu. Ele calçou as luvas que estavam guardadas no bolso do paletó”.
Giselle Natsu – O Multiplicador

“A lembrança dos jantares compartilhados com ele causavam-lhes náuseas, pavor.
O jeito foi mudar de endereço.
E de cardápio. Nunca mais tornaram a comer carne vermelha.”
Wilson Gorj – O Bom Vizinho

"Os cães começaram a brigar pela comida. Rosnavam, latiam. Eu nada podia fazer. A mulher estendeu o braço com o resto de forças que tinha, pegou o cachimbo e o acendeu, levando-o até a boca. Tragou profundo. Eu dei outra puxada na gaze. Acho que estou desmaiando. Este está sendo um dia de cão."
Plínio Gomes – Nossa Senhora do Bom Parto

“Foi quando mais sangue escorreu do corpo da minha mãe. De onde eu estava, podia ver seus olhos desesperados, me olhando, sem saber o que estava acontecendo. Ela me encarava, e seus olhos perguntavam o porquê daquilo tudo. Mas Tony estava louco. Se eu tentasse impedi-lo, ele me mataria também. Então apenas fiquei ali, ao lado dela, enquanto Tony continuava a esfaqueá-la”.
Fabiano Cisticerco – Melhor Amigo

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Assassinos S/A - O Vídeo

Vídeo de divulgação da coletânea de contos policiais brasileiros Assassinos S/A!



Produzido por Israel Teles.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Ilustradores:

Já estão escolhidos os 7 ilustradores que darão forma aos contos do segundo volume da antologia Assassinos S/A.
São eles:
- Mario Cau

- Emerson Wiskow

- Daniboy

- M. Waechter

- Rodrigo Molina

- Giovana Milanezi

- James Fox

Quem viver ou sobreviver, verá.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Buenas, meu povo!

Para quem não me conhece, permita-me apresentar-me: meu nome é Jana Lauxen, sou gaúcha, escritora, paranóica e organizadora, ao lado de meu amigo e grande escritor Frodo Oliveira, da antologia de contos policiais Assassinos S/A (Ed. Multifoco, 133 págs, R$25).
E este blogue é justamente para quem quiser acompanhar nosso trabalho e conhecer nossos autores, nossos parceiros, nossas idéias e nossos assassinos, é claro que sim.
O Volume I desta coletânea de contos policiais brasileiros foi lançada dia 4 de julho, no Espaço Multifoco, no Rio de Janeiro, e foi um verdadeiro sucesso.
Casa cheia, bebidinhas, muitas fotos e animação.
E o mais importante: um livro recheado de boas histórias, cheias de tramas, reviravoltas, suspense e muita, muita investigação.
E justamente por causa deste grande sucesso, já estamos preparando a coletânea Assassinos S/A Volume II que, além de todos os ingredientes da primeira, ainda será ilustrada.
Ou seja: vale muito a pena.
Por isso, se você escreve, não perde tempo e mande pra gente seu conto.
É até o dia 30 de setembro.
E enquanto isso, divirta-se por aqui e acompanhe, post a post, a organização deste segundo volume, que promete deixar você com uma pulga atrás da orelha.
E outras coisinhas mais.

Grande abraço meu.
Jana

Porque eu deveria participar?

1. Diferentemente de outras editoras, a Multifoco não está atrás de seus níqueis e por isso selecionará (apenas) 20 autores para esta antologia. Nem mais, nem menos. O discurso é clichê, mas é a mais pura verdade: queremos qualidade.

2. Diferentemente de outras editoras, a Multifoco não exige que você tenha dinheiro no bolso para poder participar. Os livros (cota de 15 por autor. Mas se precisar de mais é só solicitar) são entregues por consignação, e você só paga 30 dias depois do lançamento, ou seja: tem tempo de sobra para vender os seus exemplares. E ainda embolsa 20% do valor total das vendas. Agora me digam qual editora (e incluo aqui as grandes) paga 20% para o autor em cima da capa do livro? Resposta: nenhuma.

3. Diferentemente de outras editoras, participar de uma antologia da Multifoco não significa simplesmente participar de uma antologia. Porque é a única editora que oferece chances reais aos autores de suas coletâneas de terem os originais de seus livros publicados. Exatamente, você não leu errado. Se você tiver os originais prontos de um livro (romance, ficção, contos, poesia, etecetara) e nos enviar um conto policial do caráleo, corre um sério risco de assinar um contrato e ter seu primeiro livro publicado. E vocês sabem: isso significa muita coisa.

4. Diferentemente das outras editoras, a Multifoco não está nem um pouco interessada em dividir as despesas com o autor. Da mesma forma que funcionam as antologias, com os livros solos você também receberá seus exemplares sem pagar um pila, terá 30 dias para comercializá-los, e ainda embolsará 20% dos lucros finais. E você ainda escolhe a tiragem, que varia de 30 a 100 exemplares.
(apêndice)
- Ah, mas eu vou ter que vender os livros???
Vai sim, mané.
Primeiro porque você não é o Fernando Pessoa.
E segundo porque precisa colocar a mão na massa se quiser ver acontecer.
Ficar sentado esperando os lucros e o sucesso baterem na sua porta é de uma estupidez sem precedentes.
Seja para quem quer ser escritor, seja para quem quer ser qualquer outra coisa.
Ops, desabafei.

5. Diferentemente de muitas outras editoras, a Multifoco não economiza na hora de produzir seus livros. Nada de papel porcaria, capas horrorosas, revisão duvidosa e tantos defeitos grosseiros que encontramos em algumas edições por aí. A qualidade das impressões pode ser comparada a de qualquer editora tradicional.
Como já disse outra vez, há tempos quero ser escritora.
E justamente por querer tanto, já percorri milhares de sites, e editoras, e nunca encontrei nada que soasse parecido com OPORTUNIDADE.
A maioria fazia propostas absurdas, repassando para mim (no caso, a autora) um custo cômico - para não dizer trágico - que variava de 3 a 10 mil reais.
Como diz o próprio Frodo, se eu tivesse dez mil seria rico.
A verdade é dura, mas a maioria das editoras só publicam autores iniciantes que podem pagar, independente de qualquer outra coisa.
Por isso, quando conheci a Multifoco, percebi que havia sim uma luzinha brilhante no fim do túnel.
Alguém abria uma porta.
O fato é: se você realmente quer ser escritor, e está disposto a ir atrás disso de verdade, não tem chance melhor.
Mandem seus contos policiais para assassinos.anthology@editoramultifoco.com.br.